Perfil

Sandro

Alessandro Monteiro

 

Alessandro Monteiro, é cristão e casado com uma linda Administradora e Matemática, Ivete Arruda Monteiro, filha legítima de Deus. É mestre em Matemática Aplicada e Graduado em Licenciatura Plena em Matemática pela Universidade Federal do Amazonas. Atualmente é aluno do curso de Graduação em Licenciatura Plena em Física – UFAM .

Meus blogs

MATEMÁTICA – Prof. Alessandro Monteiro

Blogs que eu sigo

Programma de Cálculo da UFAM

Convergindo para a Eternidade

Todos estamos definidos no mundo e a cada dia de forma certa ou errada, tomamos valores no universo de Deus. Temos uma lei a obedecer e um único caminho a seguir. A busca por só satisfazer a nós mesmos criando nossas próprias leis está muito longe daquilo que deveríamos realmente fazer. Pertencemos a um domínio, o mundo, e aquilo que assumimos a um contradomínio, o universo de Deus. Seríamos uma função? Se não é tão absurda essa tal comparação poderíamos ir mais além, e perguntar que tipo de sequência somos? E para onde estamos convergindo? Afinal, toda sequência é uma função e além do mais levamos uma vida monótona, alguns de forma constante, outros crescente e outros decrescente. Ao nos definirmos desta forma, é importante sabermos se estamos bem definidos, pois viver buscando aquilo que só favorece o nosso EU pode parecer crescente e na verdade não é. O que temos feito para Deus? Além de ser função, temos uma função, ou melhor uma missão e não estamos no mundo a passeio e devemos viver a aventura que Deus planejou especialmente a cada um de nós. Sendo monótonos e ao mesmo tempo limitados naquilo que somos e podemos fazer, para algum lugar iremos ou estamos convergindo, e o que seria necessário para convergirmos para a eternidade? É certo de que bem longe do caminho dos ímpios se deve andar e que devemos viver a fim de alcançar dias onde a graça de Deus nos bastará e sua presença nos alimentará. Devemos viver de tal forma que, dado qualquer pecado no mundo, possamos alcançar índices em nossas vidas de tal maneira que a partir desses índices possamos permanecer tão próximos de Deus quanto precisamos. Centrado em nós, em intervalos às vezes tão pequenos, o pecado nos diminuirá e devemos ser sábios a fim de que possamos olhar para dentro dele e dizer: Não é a você que eu sirvo, eu sirvo ao meu Deus, que é único e verdadeiro. Voltando ao tempo e lembrando que um dia Jesus foi definido da mesma forma que nós, talvez além de sequências também poderíamos ser subsequências, não subsequências arbitrárias, mas de Jesus. E da mesma forma que foi um homem segundo o coração de Deus, levando uma vida crescente e muito longe do pecado, também deveríamos ser, sabendo que um dia iremos convergir para a eternidade vivendo para sempre ao lado de Deus. Enquanto esse dia iminente não chega, que possamos permanecer tão próximos de Deus quanto devemos, de forma que a nossa vontade seja sempre quebrantada na direção da vontade Dele e que não tenhamos preocupações com aquilo que é melhor para nós, no tempo certo e de forma perfeita Ele agirá. (Alessandro Monteiro – 27/03/2013)

Comments are closed.